Pálpebras

O rosto é sempre a região mais exposta do corpo e o olhar, que sempre chama muita atenção, sofre bastante com os sinais do tempo. Os olhos são os primeiros elementos do rosto a demonstrar a idade. A cirurgia plástica de pálpebras (blefaroplastia) tem o objetivo de remover o excesso de pele, flacidez e bolsas de gordura, a fim de oferecer um aspecto jovial ao olhar.

Este procedimento, normalmente, é o primeiro passo no processo de rejuvenescimento facial. A técnica elimina o excesso de gordura e ameniza as pálpebras caídas, que causam o aspecto envelhecido e cansado. Ela pode ocorrer isoladamente ou em conjunto com outros procedimentos de rejuvenescimento, como o lifting facial.

A cirurgia é iniciada a partir das marcações dos locais de incisão pelo cirurgião plástico, cujas linhas seguem as dobras naturais das pálpebras superiores e inferiores, permitindo que a cicatriz fique escondida. A gordura e excessos de pele são removidos no mesmo procedimento. Há dois tipos de cirurgia nas pálpebras. Um é destinado à correção das pálpebras superiores, onde o excesso de pele e a gordura são removidos e a incisão fica escondida numa prega natural. O outro é para as pálpebras inferiores, em que a incisão é realizada na base dos cílios e 

 

fica praticamente invisível.  A técnica permite que o paciente note 80% do resultado já nos primeiros três meses, ainda que o amadurecimento da cicatriz aconteça, em média, em até seis meses. 

Não há uma idade correta para sua realização. A presença de flacidez na região ocorre, geralmente, após a terceira década. Em alguns casos, a flacidez de pálpebras atinge o paciente antes e a cirurgia de blefaroplastia pode ser feita mais cedo. Essa técnica não tem apenas finalidade estética, mas também atende às necessidades funcionais das pálpebras. Às vezes, a flacidez na região das pálpebras interfere no campo de visão do paciente e, nesse caso, a blefaroplastia também é indicada. A anestesia empregada no blefaroplastia é, normalmente, a local com sedação e não requer internação.



Principais dúvidas:

 

AS CICATRIZES SÃO VISÍVEIS? ONDE SE LOCALIZAM?

Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (3 meses). Pela sua localização são passíveis de serem disfarçadas com uma maquiagem leve, desde os primeiros dias.

 

HÁ DOR NO PÓS-OPERATÓRIO?

Geralmente não. Mesmo que ocorra uma sensibilidade maior ou pequenos surtos de dor, estes poderão ser perfeitamente abolidos com o uso de analgésicos comuns.

 

OS OLHOS FICAM MUITO INCHADOS? POR QUANTO TEMPO?

Edema (inchaço) dos olhos varia de paciente para paciente. Existem aqueles (as) que,  já ao final da primeira semana, apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros irão atingir este resultado após 2 semanas. Mesmo assim, os 3 primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existem maior "inchaço" das pálpebras. O uso de óculos escuros é útil nesta fase, assim como a utilização de compressas frias que auxiliam a regressão do edema. Somente após o 4º mês é que poderemos dizer que o edema residual é discreto e não compromete o resultado final.

 

QUANDO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?

Após o 4º mês. Entretanto, logo após o 8º dia já teremos aproximadamente 25% do resultado almejado, sendo que nas duas ou três semanas subsequentes esses percentuais tende a melhorar acentuadamente.

 

AFINAL, O RESULTADO COMPENSA?

Se você está ciente do que deseja e o cirurgião puder lhe propiciar aquilo que você pediu, sem dúvida compensa. Entretanto, é importante levar em consideração o fato de que a cirurgia das pálpebras não proporciona rejuvenescimento geral à face, quando executada isoladamente. Muitas pacientes esperam este resultado (rejuvenescimento) apenas com a blefaroplastia. O que se deve esperar na maioria dos casos é um aspecto do paciente mais "leve", mais "descansado". O rejuvenescimento da face implica em outras condutas associadas a blefaroplastia.

 

A CIRURGIA ELIMINA OS “PÉS DE GALINHA”?

Não. Os "pés de galinha” não são tratados pela Blefaroplastia tradicional. Mesmo algumas técnicas que visam o seu tratamento, eles nunca desaparecerão por completo, devido à ação do músculo orbicular e à perda da elasticidade da pele remanescente. Pode-se utilizar a toxina botulínica após a cirurgia para otimizar os resultados.