Implantes de Mamas

O desejo de muitas mulheres é ter seios sensuais e proporcionais ao seu corpo. A colocação de prótese pode aumentar as mamas de quem tem pouco tecido mamário ou apresenta flacidez após emagrecimento ou gestação. As próteses atuais são muito seguras e não vazam mesmo que se rompam. Existem, habitualmente, três vias para a inclusão do implante:

 

Periareolar: o resultado é uma única cicatriz em torno da aréola.

 

Axilar: onde a prótese será inserida através da axila, evitando cicatrizes na mama.

 

Inframamária: que e aplicável em todos os casos e a cicatriz fica "escondida" no sulco da mama. 

 





Questões mais comuns entre os pacientes:

 

QUAL O MOMENTO IDEAL PARA COLOCAR UMA PRÓTESE?

De modo geral, os especialistas recomendam uma idade mínima de 17 ou 18 anos, quando a mama já está bem desenvolvida. 

 

COMO É A CIRURGIA?

Normalmente é feita com anestesia local e sedação –mas em alguns casos utiliza-se anestesia geral ou peridural. A paciente pode ter alta no mesmo dia.

 

COMO É O PÓS-OPERATÓRIO?

A mulher sente mais incômodo nas primeiras 48 horas. Em quatro ou cinco dias, é possível voltar ao trabalho, desde que ele não exija muito esforço físico. Os exercícios podem ser retomados após 60 dias.

 

A CIRURGIA DEIXA CICATRIZES?

As cicatrizes são inevitáveis, mas costumam ser pequenas e ficar escondidas. O corte para colocação da prótese pode ser feito sob a mama (no sulco entre o seio e o tórax), ao redor da aréola ou na axila. Normalmente, para uma prótese de 260 ml, a cicatriz costuma medir cerca de 4 cm.



QUANDO APARECEM OS RESULTADOS DEFINITIVOS?

Após a cirurgia há um inchaço que leva cerca de dois meses para desaparecer. O formato definitivo do seio só aparece em torno de seis meses após a cirurgia.

 

A PRÓTESE IMPEDE A AMAMENTAÇÃO?

Não, pois ela é colocada sob o músculo ou entre o músculo e a glândula mamária. Isso não interfere no crescimento do seio durante a gravidez e na amamentação. Os ductos mamários, que conduzem o leite, não são cortados durante a cirurgia. Mas, após a amamentação, em algumas mulheres as mamas mudam de tamanho.

 

QUAIS SINAIS PODEM INDICAR PROBLEMAS?

A paciente deve procurar um médico quando observa perda de resultados estéticos, como assimetria das mamas, quando uma fica mais dura ou mais alta ou quando há sinais de nódulos ou caroços e dores.

 

O SILICONE PODE CAUSAR CÂNCER OU OUTRAS DOENÇAS?

No início, especialistas especularam se as próteses poderiam aumentar o risco de tumores. No entanto, diversos estudos não confirmaram essa suspeita. Um deles, feito em 2000 pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, acompanhou mais de 13 mil mulheres e concluiu que a prótese não estava relacionada nem ao aumento do risco de tumores nem ao atraso no diagnóstico.

 

A PRÓTESE IMPEDE O DIAGNÓSTICO DE CÂNCER?

Não, mas se a paciente tiver casos de câncer de mama na família, o médico pode preferir colocar a prótese sob o músculo, para facilitar a visualização de um possível tumor.

 

QUAL A VALIDADE DA PRÓTESE?

Os médicos não estipulam um prazo determinado para a troca da prótese. As mais antigas precisam de acompanhamento após dez anos, aproximadamente, para checar como está a situação do produto. As mais modernas devem durar mais –em torno de 15 ou 20 anos–, estimam os especialistas.

 

COMO DEVE SER O ACOMPANHAMENTO?

A mulher pode acompanhar a situação da prótese por meio de exames de rotina, como ultra som e mamografia. Quando há dúvidas, o melhor exame é a ressonância magnética.